segunda-feira, 13 de junho de 2016

Híbridos: Mantenha o segredo


Tenho recebido alguns e-mails e mensagens de pessoas que afirmam serem híbridos, alguns relatos são convincentes, outros me parecerem um tanto surreais. Eu não sou ninguém pra julgar e sem provas não posso dizer que acredito em tudo senão eu seria ingênua. A Magia é acima de tudo para pessoas que tem fé, porque como na maioria das religiões, não podemos provar que metade das coisas que são “pregadas” de fato existe. Ou você acredita ou não acredita. Também é algo delicado, porque muitas pessoas mentalmente instáveis poderiam acreditar que seus delírios, na verdade, são reais e mágicos. Eu tenho muito medo de me deparar com alguém assim e sem querer acabar prejudicando a pessoa. Eu penso muito nisso e, às vezes, me sinto péssima porque, em algumas situações, não me sinto apta a julgar ninguém. Eu sei as coisas que vejo, sinto, ouço e sonho... Sei que para muita gente, isso também poderia parecer loucura ou imaginação, mas, por mais surreal que seja tudo isso o que eu vejo, dificilmente se torna sólido, e até hoje, eu nunca levitei nem soltei bolas de fogo nem fiz chover. O que eu quero dizer é que, ignoro relatos de pessoas que afirmam possuir super poderes. Não é que eu não acredite que isso seja possível – há mesmo híbridos entre nós e muitos têm poderes incomensuráveis -, mas, infelizmente, fica difícil pra eu ter certeza se a pessoa, de fato, pode fazer o que promete, se está zombando de mim, ou se é maluca. Eu não sei se vocês entendem a gravidade da situação, mas, se eu, por exemplo, dizer a uma pessoa esquizofrênica que tudo o que ela vê é real, ela se convencer de que não precisa mais tomar seus remédios e/ou abandonar a ajuda médica, isso vai prejudicar e muito a sua sanidade mental. Se alguém quiser zombar de mim, me chame logo de tola ou pergunte se eu vi a Sininho, recentemente.

                Se você tem mesmo poderes do tipo soltar bolas de fogo ou sei lá, congelar as pessoas, por favor? Prove-me, antes, ou guarde pra você. Lembre-se: A primeira regra dos híbridos é manter segredo sobre quem você é. Nem todos os Elementais são amiguinhos, e muitos estão em pé de guerra, portanto, é possível que haja híbridos maus que podem comprometer a sua missão – seja lá qual for -. Ser híbrido não é só ter poderes e pá. Você precisa cumprir a missão para qual for designado. Não devia contar isso, mas vou contar mesmo assim, recentemente, eu tive uma revelação que me deixou espantada. Fui escolhida pelas fadas para cumprir uma missão nada fácil. Não vou dizer que sou um híbrido porque acho que seja uma palavra forte, mas sou uma das escolhidas. Eu deveria estar pulando e soltando fogos, agora, afinal, eu sou especial, mas estou assustada e confusa. O que me pediram é grandioso demais e duvido que eu dê conta. Não importa o que é (prefiro manter segredo), mas eu tenho feito muito pouco para cumprir meu propósito. No dia em que tive a revelação (através de um “sonho”), um grupo grande de pessoas, bem arrumadas e educadas, me levaram até a sala de um colégio e sentaram-se ao meu lado. Um casal (um homem branco de cabelos negros e curtos, e uma loira com corte estilo Chanel) falou comigo e me explicou o que eu deveria fazer nesse e no outro mundo. Eles falavam claramente comigo, sem medo e me deram consciência total. Não tinham problemas em se mostrarem em suas verdadeiras formas nem ocultarem sua natureza mágica. Quando disseram o que eu deveria fazer, eu perguntei como o faria e eles se entreolharam, surpresos. A cada pergunta que eu fazia, eles pareciam confusos, deixando evidente que era eu quem deveria saber como fazer o que me era proposto. Eu não menti e disse que não tinha inteligência o suficiente para tanto, eles ficaram espantados. Pedi pra eles me mostrarem como fazer, que eu faria o que eles quisessem. A mulher concordou, mas disse que eu deveria fazer muita coisa sozinha. Foi estranho demais. Senti-me como uma criança pequena que de repente precisa fazer coisa de gente grande. Mas, por outro lado, me senti como se estivesse com minha verdadeira família. Eles me amavam e me respeitavam e confiavam em mim. Não queria ter saído de lá.
          Depois disso, passei a sentir presenças no meu quarto, a ver pequenas luzes brilhantes e sombras estranhas que levitam diante de mim e me lembram muito aqueles youkais, também sinto uma mão acariciar minha cabeça antes de eu dormir. Só que isso não acontece todas as noites, apenas quando elas vêm em meus sonhos e me passam alguma instrução. No início, eram instruções estranhas e eu quase não as cumpri. A primeira instrução foi fazer um molde da terra; a segunda, tingir de azul uma tela. Quando eu as questionei sobre isso, a mulher loira me disse que estava testando minhas aptidões artísticas. Eu falhei como escultora e pintora, e nem cheguei a fazer os testes musicais, disse que eu não conseguiria. Estou esperando que elas peçam para eu interpretar ou escrever, aí sim não vou passar vergonha.

            Com base na minha própria experiência aconselho a todos os possíveis híbridos a contatarem os Elementais, primeiro. Só não vá tanta sede ao pote. Tenha paciência porque mexer com elementais não é fácil, às vezes. Você precisa ganhar a confiança e o carinho deles e isso pode levar algum tempo. E eu sempre aconselho aos iniciantes que não entrem na Wicca apenas pelos Elementais. Procurem se interessar por outras coisas também. Há muita coisa legal além de fadas e gnomos e você não perde nada experimentando coisas novas.

           Uma vez que tenha se aproximado deles, trabalhe seus dotes artísticos. Inicialmente, pode parecer algo frívolo, mas talvez sua missão envolva a arte. A palavra encantada de amor e igualdade do Povo Mágico deve ser espalhada através de alguma forma que toque os corações das pessoas, e quase sempre o que toca os corações humanos é a arte, a música, a pintura, enfim, toda e qualquer expressão de arte.

              Os escolhidos pelo povo mágico precisavam se unir, se, algum dia, quiserem voltar pra casa – sua casa de verdade, a que eles deixaram quando se ofereceram voluntariamente para vir até este mundo orientar e guiar os humanos de coração puro -.

Elementais podem reencarnar como humanos e vice versa?

         Eu achava impossível, mas pesquisando alguns textos mitológicos encontrei alguns casos de seres encantados que reencarnaram como humanos e humanos como seres encantados (vocês estão vendo que sempre que eu me engano sobre algo, volto atrás e digo isso a vocês, né?). Teve uma fonte que eu li que afirmava que alguns espíritos divinos escolhiam nascer entre os humanos com o propósito de deixarem algum conhecimento valioso ou conduzir a humanidade a uma nova direção.

          Mas e quanto ao humano, pode se tornar um elemental? Então, de uma forma ou de outro, todos nós retornaremos para o plano espiritual, cedo ou tarde. Um espírito divino, após cumprir sua missão nesta terra, retorna a seu lugar de origem e volta a ser o que era antes. Se pesquisar a respeito, verá que inclusive, alguns deuses deixaram sua morada e viveram entre os humanos. Certamente que eles sabiam quem eram e o que deveriam fazer, diferente de outros seres “menores” que se esqueciam de sua vida passada e apenas lembravam-se de flashes de seu lugar de origem, e sentiam que não eram como os demais humanos. Estes últimos não são híbridos, mas, sim, encarnações de seres espirituais de uma consciência elevada, tais como fadas e ninfas.

         É possível que um humano comum reencarne como um elemental ou se torne um? É muito raro senão impossível. Pesquisei sobre isso e encontrei apenas a história de Leucotéia e Palêmon: Ino, filha de Cadmo e esposa de Atamas, fugindo de seu furioso marido, com o filhinho Melicertes nos braços, caiu de um rochedo no mar. Os deuses, compadecidos, transformaram-na numa deusa marinha, com o nome de Leucotéia, e ao filho em um deus, com o nome de Palêmon. Ambos tinham o poder de salvar os homens de naufrágios e eram invocados pelos marinheiros. Palêmon geralmente era representado cavalgando um golfinho. Os jogos ístmicos eram celebrados em sua honra. Era chamado Portuno pelos romanos, e acreditava-se que governava os portos e as costas.
       A história de Leucotéia e Palêmon nos mostra que os deuses têm poder para transformar um mortal em imortal, então, a menos que você consiga comover ou convencer um deus a te transformar em imortal e mágico, desista dessa ideia e seja grato por ser um humano. Muitos elementais dariam qualquer coisa para se tornarem humanos. Já se perguntou por quê? Porque o fascínio que sentimos por eles, eles igualmente o sentem por nós. Não é que uma dimensão seja melhor ou pior que a outra, mas porque todos somos um só, e estando separados, sentimo-nos incompletos, e erroneamente, acreditamos que a solução é ir para o lado de lá. Não é. Temos de nos equilibrar com os quatro elementos e aceita-los como parte de nós, pois só assim essa sensação de vazio nos deixará. Cuidado com esses “feitiços” que prometem te transformar em fada, sereia e etc. Pense um pouquinho, amiguinho... Você acha mesmo que se houvesse um feitiço desse tipo as pessoas colocariam assim na internet sem querer ganhar nada com isso? A natureza humana é egoísta e gananciosa e ninguém faz nada por ninguém sem desejar receber algo em troca. Se houvesse mesmo um feitiço capaz de transformar alguém num elemental o segredo seria vendido por muito dinheiro, ou seria de conhecimento de gente que simplesmente o postaria na internet. Nada é de graça, principalmente quando parece fácil demais. Alguns desses feitiços até podem ser um tipo de pacto com alguma entidade maligna. Já fiz um post falando sobre isso em A Dança Das Fadas.
               Elementais também podem transformar um humano em outro elemental, sabia? Mas como eu disse... NADA é de graça, e nesse caso, o que eles fariam na verdade é trocar sua imortalidade pela mortalidade humana. As Mouras, por exemplo, podem transferir seu “fado” para um humano ingênuo. O humano ficaria com seus poderes, mas também com sua maldição que no caso é passar o resto da eternidade num único lugar, vigiando um portal ou um tesouro ou mesmo um lugar. Imagine trocar de lugar com uma moura que habita um poço, por exemplo? Não seria assustador? Lembrei da Samara, agora. Ok. Não tem nada a ver falar da Samara agora. Mas não deve ser agradável viver num poço. Não sei se a moura troca de corpo com o humano a quem transfere o seu fado, mas imagino que sim. Antes que me pergunte se tem como recuperar seu corpo ou sua liberdade de volta, vou avisando que a única forma de se libertar é enganando outra trouxa. Só toma cuidado porque se não conseguir enganar a pessoa, seu fado aumenta. É baby. Já sabe, se algum dia, esbarrar com uma mulher bonita perto de um rio, poço ou gruta e ela te oferecer uma fruta ou um galho ou qualquer coisa que seja, saia correndo. Melhor ser chamado de louco que se ferrar.

                Eu não posso dizer se ninguém é híbrido ou escolhido ou qualquer outra coisa, mas posso aconselhar (e meu conselho é o mesmo pra todos) você que sente que pode ser um, a contatar os elementais (preferencialmente o elemento o qual sinta que tenha mais afinidade) e pedir a eles que lhe digam se você é especial e o que pode fazer por eles. Eles vão responder, cedo ou tarde. E o quer que eles respondam, procure manter em segredo. Não saia espalhando pelos quatro cantos do mundo que você é especial. Isso deve ser mantido em segredo. Se quiser falar que é um híbrido ou um escolhido (vou pesquisar se há uma denominação melhor pra esse tipo de pessoa), fale, mas não conte sua missão. Se fosse pra todo mundo saber, acho que os elementais pediriam pra você fazer isso, né? Você não é obrigado a cumprir sua missão, se não quiser. Talvez, exija muito de você (talvez alguém peça pra você salvar as crianças famintas ou proteger as árvores), então, pense se vale a pena o esforço. Acredito que depende principalmente do quanto você se importa com os outros e com a natureza. Geralmente os seres mágicos não se enganam e só escolhem pessoas que dão mesmo conta do recado, então... Acho que não há missão grande ou pequena que não possa ser cumprida. Se dá medo? Dá. Medo de falhar, principalmente. Mas acho que não tentar é pior. Por isso eu voltei aqui. Não importa quantas vezes eu poste alguma coisa sempre será pequeno se comparado ao que eu tenho de fazer – não é algo fácil, vai me pôr a prova e testar minha honestidade e bondade e também a minha liderança -. E uma parte de mim sabe que eu preciso tentar porque é a única forma de voltar pra casa, minha casa de verdade. Esse é um caminho solitário e difícil, mas se persistir, no fim, valerá a pena. Não sou, infelizmente, quem dirá o que você deve fazer. Deve ouvir seu coração. As respostas estão em seu intimo... Lá no fundo. Parecem tolas e até assustam (pela dimensão ou pelo sacrifício), mas é isso. Eu pensei MUITO antes de escrever tudo isso porque eu não gosto de me expor. Às vezes, gosto de fingir que sou só uma garota como as outras. Desculpem? Só não é fácil.
              Obrigada a todos que acompanham o blog. Sou muito grata a todos pelo carinho. Beijos açucarados.
Nielee.

7 comentários:

Camila Siqueira disse...

Daniele, mds, quanto tempo não passo por aqui. Eu tenho deixado de lado tudo sobre magia, andava um pouco cansada e sobrecarregada. Tentei ser uma garota normal. Não tive exatamente muito sucesso, mas obtive um bloqueio tão grande que minha memória sobre meus sonhos é deletada em um flash. Enfim, isso de ser híbrido é muito complicado, sendo sincera, acho que quem é híbrido de verdade, ou tem um poder muito grande não espalha, por medo. Pelo menos é o que eu penso. Preciso voltar a me conectar com a magia, mas por alguma razão sinto que tenho que esperar.

lucas oliver disse...

Obrigado nielee

lucas oliver disse...

Me aceita la no fece

Cay disse...

Daniele, já tem alguns meses que não me relaciono mais a magia e coisas do tipo, como me reconecto com a magia?

Daniele Claudino disse...

Oi Cay fiz um post que pode te ajudar nisso:
http://adancadasfadas.blogspot.com.br/2016/06/se-reconectando-magia.html

Maria Luísa Albuquerque disse...

Oier (nossa eu amei muito seus blogs <3 to viciaaaaaaada) Eu queria saber sentir uma presença estranha e arrepios é normal? A e eu tenho medo de escuro ;u; muito medo eu não gosto de ficar no escuro e nem fechar os olhos é normal?

Daniele Claudino disse...

Ouvi falar numa fobia de escuro, mas não lembro o nome... De qualquer forma, eu também morria de medo de escuro, é normal temermos algo que não conhecemos. Você poderia tentar algum ritual para perder esse medo ou tentar contatar alguma deusa da noite para te ajudar a superar esse medo. Quanto a presença e aos arrepios é porque talvez você sinta as energias do locais onde está ou talvez porque sinta a presença de algum espírito ou guardião que esteja por perto, mas não há nada temer. Pode ser apenas um elemental protetor.

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Template by:

Free Blog Templates